Lesão do manguito rotador

Lesão do manguito rotador: comum em atletas e em pessoas que trabalham carregando peso e com movimentos que elevam os braços acima dos ombros

Dr. Carlos Mattos

O manguito rotador é formado por um grupo de quatro músculos responsável por movimentar e dar estabilidade ao ombro juntamente com os tendões e ligamentos. Quanto o paciente se queixa de fortes dores no ombro, principalmente na face lateral e que se intensificam no período da tarde e da noite impossibilitando levantar o braço, pode ser lesão do manguito rotador, muito comum em atletas e em pessoas que trabalham carregando peso e com movimentos que elevam o braço acima da altura dos ombros.

E os sintomas pioram progressivamente ao longo do tempo. As causas dessa lesão podem ter diversos fatores, como genéticos, traumáticos, biológicos (processos inflamatórios, por exemplo), mecânicos (alterações nas estruturas musculoesqueléticas) e ambientais (obesidade, envelhecimento, uso excessivo da articulação).

Para o diagnóstico correto, além do exame clínico, utilizamos exames de imagem, como a ultrassonografia e a ressonância magnética para excluir outras doenças e poder classificar a lesão. Classificamos a lesão do manguito rotador de acordo com sua duração (aguda ou crônica), tamanho (parcial, total ou extensa) e etiologia (traumática ou degenerativa).

O tratamento sempre deve levar em conta o tipo de lesão, a idade, o perfil e o estilo de vida do paciente. Normalmente o tratamento conservador, que inclui medicamentos e fisioterapia, resolve o problema quando há processos inflamatórios, lesões parciais do manguito e também para os pacientes mais idosos ou com baixa demanda física.

Já o tratamento cirúrgico é indicado nos casos de falha do tratamento conservador, lesões totais ou parciais sintomáticas, ou então em casos específicos, como em atletas. O procedimento geralmente é feito através de artroscopia realizando sutura das lesões com uso de âncoras, que é minimamente invasivo e muito eficiente.

Podemos evitar a ocorrência da lesão do manguito rotador com fortalecimento dos músculos, diminuição da sobrecarga da região, e evitar o tabagismo, se for o caso. Vale ressaltar que tabagistas têm o dobro de chance de sofrer lesões do manguito e re-ruptura após cirurgias.

Dr. Carlos Mattos é ortopedista, especialista em Cirurgia do Ombro e Lesões Esportivas, Chefe do Departamento de Ortopedia da PUC-Campinas e Diretor Clínico do Hospital PUC-Campinas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.