Lesões ligamentares do joelho

Dr. Carlos Mattos

Trago hoje no Blog as lesões ligamentares do joelho, um tema importante de ser falado especialmente para atletas e praticantes de esportes de alto rendimento, como futebol, atletismo, basquete e handebol.

O joelho é uma das articulações que possuem maior capacidade de sustentação, amplitude de movimento e estabilidade. Justamente por esses motivos e por estar relacionado a diversas estruturas (ligamentos, meniscos, músculos e ossos) também é uma das regiões mais propensas a sofrer lesões, principalmente as ligamentares.

Os ligamentos são estruturas que ligam um osso ao outro e são responsáveis por estabilizar a articulação e evitar rotações e movimentos excessivos que possam causar deslocamento de ossos importantes, como o fêmur e a tíbia, por exemplo.

No joelho, as lesões ligamentares que ocorrem são: LCA – lesão do cruzamento anterior; LCP – lesão do cruzamento posterior; LCM – lesão colateral medial – e LCL – lesão colateral lateral. De forma geral, todas geram dor, inchaço e limitação de movimentos em alguns casos. Elas são divididas em 3 graus, sendo o primeiro uma entorse do ligamento sem instabilidade, o segundo grau ocorre a entorse ligamentar com lesão parcial podendo ocorrer instabilidade e o terceiro, uma ruptura completa do ligamento.

Uma das lesões mais comuns entre as apresentadas é a lesão do ligamento cruzado anterior (LCA), responsável pela estabilidade rotatória do joelho. O ligamento é lesionado quando o pé fica fixo ao solo, mas a perna é rodada junto ao corpo, acontecimento comum no futebol e que impede que o praticante continue no esporte sem o tratamento adequado.

Embora a lesão do ligamento cruzado posterior (LCP) não seja tão comum quanto a do LCA, ainda assim tem grande incidência, tanto no meio esportivo como em acidentes. O LCP é um estabilizador primário do joelho e é o principal controlador da quantidade de movimentos para trás que a tíbia pode fazer em relação ao fêmur. Sua lesão é devido ao impacto direto e de alta energia na face anterior da tíbia.

Já o ligamento colateral medial (LCM) tem a função de estabilizador interno da tíbia em relação ao fêmur e a lesão acontece a partir do momento em que através de traumas ou esforços repetitivos o joelho acaba sendo forçado de fora para dentro. Por último, o ligamento colateral lateral (LCL) estabiliza o lado externo do joelho e, ao contrário do LCM, a lesão acontece quando o joelho é forçado de dentro para fora.

Em muitos casos ocorrem combinações das lesões, ou seja, mais de uma lesão ligamentar no mesmo joelho.

O tratamento e o retorno ao esporte irão depender do tipo de lesão, grau, estilo de vida e idade do paciente, porém, fisioterapia, fortalecimento muscular e medicamentos para o controle da dor fazem parte do protocolo conservador que, inicialmente, é utilizado na maioria dos casos. Mas em muitas situações, principalmente na lesão do LCA em atletas, a cirurgia artroscópica com reconstrução do ligamento é o mais indicado.

Dr. Carlos Mattos é médico ortopedista, especialista em Cirurgia do Ombro e Lesões Esportivas, Chefe do Departamento de Ortopedia da PUC-Campinas e Diretor Clínico do Hospital PUC-Campinas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.