ORTOPEDIATRAUMATOLOGIA

Refraturas por osteoporose

Dr. Carlos Mattos –

A osteoporose é uma doença silenciosa que deixa os ossos frágeis e porosos, mudando sua estrutura, e geralmente é detectada apenas em estado avançado – quando há fratura ou dor crônica provocada pela deformidade dos ossos. É uma doença sistêmica que se instala inicialmente na fase chamada de osteopenia, quando há um desequilíbrio entre as células responsáveis pela absorção e regeneração do tecido ósseo.

A osteoporose se manifesta geralmente a partir dos 45 anos nas mulheres, grupo de maior incidência, mas o alerta principal é após a menopausa, condição que modifica consideravelmente a perda e o ganho de massa óssea devido às mudanças hormonais. Nos homens é mais comum após os 70 anos.

Além de ser uma doença característica da idade, a osteoporose pode acontecer devido a outros fatores como: problemas renais, endocrinológicos, certos tipos de medicações, uso de cigarro, predisposição genética, sedentarismo, abuso do álcool e dieta pobre em cálcio.

Diagnóstico

Para o diagnóstico, é feito um exame de densitometria óssea, que consegue mapear a densidade do osso na região da coluna, quadril ou punho, áreas de maior fragilidade e risco de fratura. A dosagem de vitamina D também tem se mostrado útil, pois baixas doses, especialmente nas mulheres, dificultam a fixação do cálcio nos ossos.

Fraturas

As fraturas podem causar dor crônica, incapacidade e morte. Estudos mostram que as fraturas de quadril estão associadas a um aumento de 15 a 20% na taxa de mortalidade em 1 ano, com uma taxa de mortalidade mais alta em homens do que em mulheres, seguida por um risco 2,5 vezes maior de fraturas futuras, como na imagem desse artigo, que é um caso de refratura.

No Brasil, os números de casos de fraturas crescem juntamente com a longevidade. Em 2015, o Brasil registrou 80,6 mil fraturas de quadril, considerada a mais grave – 57,2 mil em mulheres e 23,4 mil em homens. Para 2040, são estimados 197,7 mil novos episódios, sempre com maior incidência no sexo feminino.

Aproximadamente 20–50% dos pacientes com fratura de quadril requerem cuidados domiciliares de enfermagem de longo prazo e sofrem de diminuição da qualidade de vida, isolamento social, depressão e perda de autoestima.
O tratamento da osteoporose após a primeira fratura é fundamental para evitar a refratura.

Prevenção e tratamento

A prevenção para evitar fraturas provocadas pela osteoporose inclui ingestão mínima diária de 500 miligramas de cálcio e a obtenção da vitamina D através de banhos de sol diários durante 15 minutos, além de exercícios físicos de impacto que estimulam a formação de massa óssea.

Nos casos da doença já instalada, o tratamento inicial na maioria das vezes são adequação da dieta, introdução de minerais e vitaminas para suplementar a alimentação e uso de medicações.

Importante também a adaptação do ambiente doméstico, como corrimão, barras de apoio e tapetes não escorregadios etc, para evitar quedas, pois a fratura por osteoporose ocorre após impactos de baixa energia.
Em caso de qualquer sintoma, sempre procure um médico especialista.

Dr. Carlos Mattos é ortopedista, especialista em Cirurgia do Ombro e Lesões Esportivas, Chefe do Departamento de Ortopedia da PUC-Campinas e Diretor Clínico do Hospital PUC-Campinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *