ArtroscopiaLESÕES ESPORTIVASORTOPEDIAPATOLOGIA DO JOELHO

Lesão do menisco: causas e tratamentos

Lesão do menisco

Dr. Carlos Mattos – A lesão do menisco é um problema muito comum no joelho. Os principais sintomas desta lesão são dor e inchaço bem localizados em determinada região do joelho que pioram com o passar dos dias ou com a execução de movimentos simples, como subir e descer escadas, caminhar, agachar ou mesmo cruzar as pernas. Entretanto, o paciente também pode sentir estalidos e até bloqueio articular quando ocorre lesão do menisco.

A lesão do menisco ocorre mais em homens jovens praticantes de esportes de alto impacto, como o futebol, devido aos eventos traumáticos durante a prática da atividade. Nestes casos, a lesão meniscal pode vir acompanhada de lesões ligamentares. Além disso, pessoas acima de 50 anos também podem ter lesão do menisco por causa degenerativa.

Para entender como essa lesão acontece, é importante conhecer um pouco mais sobre a anatomia do joelho. O joelho é formado pela união do fêmur, tíbia e patela, tendo entre eles estruturas de fibrocartilagem chamadas de meniscos. Seu papel é amortecer impacto, distribuir cargas, lubrificar e estabilizar a articulação. Ou seja, é uma estrutura essencial para a biomecânica do joelho.

Em caso de lesão por eventos traumáticos, os meniscos têm sua estrutura lesionada de forma completa, incompleta, estáveis ou instáveis e de diferentes padrões. Para comprovar a lesão, aliamos o exame físico à ressonância magnética.

Devemos lembrar que com o avanço da idade os meniscos perdem gradativamente a resistência, devendo tomar cuidado com certas atividades de impacto e com o sobrepeso que aumentam demais a chance de ocorrer uma lesão durante exercícios de impacto.

O tratamento de pacientes com lesão de menisco pode ser conservador ou cirúrgico, dependendo do tipo e tempo de lesão, idade do paciente, localização, tamanho e relação com esporte. Nos casos mais simples, há indicação do tratamento conservador com fisioterapia, medicamentos, repouso e gelo.

Porém, em pacientes com lesões mais graves, o tratamento conservador pode não apresentar resultados satisfatórios e a cirurgia passa a ser necessária.

Nestes casos, geralmente é realizada a cirurgia artroscópica, que é um procedimento rápido e minimamente invasivo. Dependendo do tipo de lesão podemos suturar o menisco ou realizar uma pequena ressecção na área lesada. Após o procedimento, o paciente precisa fazer fisioterapia para reabilitação e volta às atividades do dia a dia e/ou esportivas.

Dr. Carlos Mattos é médico ortopedista, especialista em Cirurgia do Ombro e Lesões Esportivas, Chefe do Departamento de Ortopedia da PUC-Campinas e Diretor Clínico do Hospital PUC-Campinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *